terça-feira, 4 de novembro de 2014

Perfil Semanal - Vereadores de Itu

Nascido à rua Santa Rita, em 1944, Olavo Volpato é mais um ituano que tem seu espaço reservado dentro da Câmara Municipal. Hoje, aos 70 anos, Olavo tem uma história rica na cidade.    

Sua infância e adolescência estão ‘registradas’ na Vila Cleto, fundada pelo seu avô, onde viveu até se casar. Seus estudos começaram no Colégio do Patrocínio, mas pararam no 2º ano, afinal o colégio era para mulheres e os homens podiam ficar somente até o segundo ano. De lá, foi para o Cesário Mota, onde concluiu o primeiro grau, mas antes reprovou a 4ª série. O segundo grau se deu no Instituto de Educação Regente Feijó aos 18 anos, pois Olavo precisava trabalhar. Ele é graduado em Ciências Contábeis e Administração de Empresas, voltado para Recursos Humanos (segmento no qual é pós-graduado). Pela Faculdade de Direito de Itu (FADITU) se tornou bacharel em direito, mas não exerce por conveniência.

Volpato foi um líder estudantil, que se comprovou na formatura de 4ª série, cujo nome da turma levou seu nome, devido a organização realizada. “Fui um líder mais pela minha idade do que por outros motivos”, diz humildemente. À época, ele tinha dezoito anos, enquanto seus colegas tinham quatorze. Por causa dessa liderança, o jovem despertou o interesse do candidato a prefeito, Galileu Bicudo, que o convidou para ser vereador. Ferdinando de Marco, presidente do Clube dos Comerciários, deu um empurrãzinho dizendo que Olavo era um jovem promissor. Naquele tempo era difícil conseguir vaga para vereador, pois era o dobro do número de cadeiras que cada legenda tinha, havia três, segundo Volpato. Galileu só podia indicar dez vereadores e sete já ocupavam as cadeiras. “Ele escolheu a mim e mais um, Lázaro Piunti. Nós começamos juntos na política. Isso em 1969”.

Ao ser questionado sobre qual foi a sensação de ser convidado, diretamente, pelo candidato, a fazer parte de sua equipe, nosso entrevistado chega a se emocionar: “Eu gostei, pois ele (Galileu) era um líder popular e eu um garoto pobre, que não tinha recurso nenhum, porém me destacava”, lembra.

POLÍTICA

Antes

A política na década de 60 era bem diferente da atual. Obviamente não havia tamanha tecnologia, os votos eram conquistados de porta em porta. Foi assim que Olavo foi eleito vereador, se apresentando às pessoas, expondo suas ideias e propostas.

Em 1969, por infortúnios políticos, Olavo Volpato se tornou prefeito por dois anos. Os motivos se misturam entre cassação, intervenção e, infelizmente, morte. No período em que estava prefeito, ele diz ter recebido bastante apoio da população. “Fiz uma administração séria, voltada para a educação e adquiri a confiança do povo”, afirma. Ao fim do mandato, quem assumiu foi seu colega Piunti. Porém, quatro anos depois, o jovem que havia coordenado a cidade aos 26 anos, voltou. E o fez com o dobro de votos de seu antecessor.

Agora

Em relação à mudança de horário das sessões, o vereador é contrário. Ele afirma que o importante é estimular a população a ir à Câmara. “Um horário pode ser bom para este e ruim para aquele, cada um vai defender seu interesse”.

Em relação sobre o que mudaria na Câmara, Olavo pontua: “A casa precisa ser modernizada, entrar na era da informática para disponibilizar a população tudo o que se passa. Os vereadores têm que pesquisar mais os assuntos da cidade e acompanhar as legislações.

Logo acima, o vereador disse que é preciso atrair a população às sessões. Perguntei como isso seria feito: “É difícil dizer, pois as pessoas vêm quando tem um tema de seu interesse e não é um bolo, uma barraquinha ou uma cerveja que vai atrair. Acho que estamos precisando descobrir o que o povo quer. Mas acho que hoje, com a informática, as pessoas vão ficar em casa. Elas nem estão indo trabalhar mais, fazem o serviço a partir de suas casas”.


Olavo Volpato, além de vereador, é gerente administrativo da Porcher do Brasil, localizada à Avenida Caetano Ruggieri, 4153. Caso o leitor(a) queira falar com o Olavo (vereador) ou Olavo (da Porcher), pode utilizar esses meios: vereadorolavovolpato@camaraitu.sp.gov.br ou adm@porcher.com.br