terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Fraude nas urnas eletrônicas - voto impresso

A discussão sobre a possibilidade de fraude nas urnas eletrônicas voltou à pauta em dezembro. Em razão disso a Rádio Senado produziu uma reportagem especial com o título ‘Imprimir ou não imprimir, eis a questão’. Apesar de ser utilizada desde a década de 90, a urna eletrônica sempre deixou insegurança e dúvida entre parlamentares e especialistas em tecnologia da informação.

Em setembro de 2015 o Congresso Nacional chegou a aprovar a obrigação da urna imprimir o registro dos votos de cada eleitor. Porém a presidente Dilma vetou argumentando que o gasto com papel atingiria os R$ 1,8 bilhões. Em novembro, o Congresso derrubou o veto da presidente e aprovou o projeto. Com isso, a partir de 2018, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) terá de utilizar o registro do voto através da impressão.

Você que acompanha o ‘Imprensa Aberta’ deve se lembrar da reportagem publicada no dia 24 de julho de 2015 na qual tratei sobre o tema. Época em que o deputado Jair Bolsonaro apresentou o texto.

A reportagem da Rádio Senado pode ser acessada por este link.

Vamos torcer para que o registro dos votos através da impressão realmente vigore para, caso haja dúvida na contagem e uma auditoria seja requisitada, seja possível verificar os dados.


Exemplo de urna eletrônica com impressão de voto